segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PRESENÇA 1

O doente em fase terminal precisa de um elo de ligação entre o hospital aonde se encontra e o meio familiar em que estava integrado. E num local em que os pacientes vivem o dia a dia com o máximo de pequeninas coisas que lhes trazem uma certa qualidade de vida, a presença da família é de grande importância...vinda do exterior traz as noticias da vida que brota lá fora, o falar disto, ou daquilo que se está a passar lá em casa leva o doente a sentir-se participante nessa mesma família e não cortado abruptamente.
Uma presença humana, profunda e sincera pode ajudar sempre alguém a não se sentir só ao atravessar esta ponte da vida para a outra vida passando pela morte.
Quantas vezes apressadas não sentem a importância de certos gestos de certas palavras de certos actos.
A qualidade da presença, pode contribuir muito para o bem-estar do paciente.
Nós enfermeiras (os) podemos contribuir, ajudando a que certas presenças sejam “remédios” de paz e tranquilidade, basta compreensão, comunicar... e ensinar como comunicar mais e melhor, não há nenhuma teoria especial mas se estivermos atentos a certos gestos, certas palavras ditas e outras não ditas, pudemos com a nossa presença sermos muito úteis.
A firmeza da nossa postura, como enfermeiros ou outros cuidadores, e nestes eu coloco a família é muito importante.
A sinceridade em tudo o que fazemos, nas palavras que falamos e nos gestos que aplicamos.
Digo: “aplicar um gesto”. Sim um gesto bem aplicado pode ter o mesmo efeito que um medicamento falo de cuidados paliativos.
Quantas vezes um doente hiper agitado, mesmo agressivo, depois de uma conversa, com um gesto muito atento na qualidade dum estender de mão leva á sua tranquilidade?
Muitas e disso eu sou testemunha.

Passam-me pela cabeça muitos casos, lembro-me daquele cirurgião argentino que tinha a esposa hospitalizada em cuidados paliativos, quando chegava para a visita pedia-me sempre que fosse com ele ver a esposa.
A esposa estava em estado de coma, mas ele falava para ela como se ela lhe estivesse a responder-lhe curioso este dialogo era mesmo um dialogo havia comunicação, nunca me deu ideia de um monólogo, e eu assistia todos os dias a esses 15 minutos de conversa, ele aproveitava sempre para lhe dar a comida pela sonda naso-gástrica, ele dizia-me que tinha necessidade de fazer aquilo.
Intrigava-me este senhor, primeiro sentia-me uma intrusa naquela conversa... ficava sempre em silêncio, não tinha palavras, depois de tantas vezes presenciar estas cenas sempre em silêncio tentei fugir do cenário.
Mas o Sr. X veio pedir-me para ir com ele, perguntei-lhe mas para quê?
Ele respondeu-me: O seu silêncio fala-me sempre muito.

Utilia




6 comentários:

  1. Amiga
    desta vez nem comento. Não consigo. Fico-me por aqui:
    "O seu silêncio fala-me sempre muito."

    Quantas vezes me recrimino pelo meu silêncio...

    Obrigada pelo entendimento.
    Beijo grande de muita amizade

    ResponderEliminar
  2. Amiga Utilia, das profissões que conheço a sua é das que mais admiro, continue e que Deus lhe dê forças extras de cada vez que precisar de um conforto para sorrir e avançar.
    Hoje ouvi o dr. Daniel Serrão na RTP, a falar precisamente sobre a solidão dos idosos e dos cuidados paliativos, ele não quer que o matem se estiver doente (eutanásia, testamento vital, etc) quer cuidados paliativos de qualidade e eu concordo com ele.
    Continue com o seu bom trabalho, que Madre Teresa de Calcutá a acompanhe nas tarefas mais dificeis.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Utília!
    Estou espantada,agradavelmente surpresa com o seu testemunho.
    Estou sem palavras.Faço como a Dulce.Não me atrevo a comentar.
    O seu silêncio foi muito mais eloquente para aquele senhor.Talvez mais do que se lhe! tivesse feito um discurso.
    Apetece-me dizer-lhe um grande BEM-HAJA

    BJINHOSSSS,Utília

    ResponderEliminar
  4. É muito interessante este cantinho, especialmente para quem está a dar os primeiros passos na área da enfermagem, embora também o seja para os leitores em geral, até porque se fala de pormenores que fazem toda a diferença no dia a dia de qualquer pessoa.
    E como esse silêncio que tanto diz!... E quantas vezes as palavras estão a mais... Por vezes basta só isso para criar um ambiente agradável e de confiança para quem se insere nele.
    Gostei muito do blogue.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que "coisa" tão linda que li.
    Escorrem-me lágrimas pela cara abaixo sem as puder interromper ou conter.
    Que ternura. Delicia. Pureza.
    Estou fascinado.
    Em que posso ajudar?
    Beijinhos Utilia sublime.
    Com respeito pela importância de todos os gestos de carinho e dedicação, mas todos mesmo.
    No maior fascínio.

    pena

    Também sou uma pessoa séria,acredite, amiga?
    Adorei lê-la.
    Nem sei que fazer?
    Parabéns.
    A minha intervenção aqui será mais consrante.

    ResponderEliminar
  6. Não consigo ir ao Mãos dadas...

    Ainda persiste o problema com o blog?!

    bjinhos Utília

    carmo

    ResponderEliminar

Um sorriso... mesmo quando tudo e todos se esquecem que ainda vives.
Obrigada